Queda de avião em Angola não deixa sobreviventes

Aqui ficam as notícias que irão aparecer na página inicial do site.

Moderadores: ATC, Comandante

Regras do Fórum
Como colocar uma notícia no FSP:
TÍTULO - Colocar um título que descreva o conteúdo da notícia.
IMAGEM - Coloque o link para uma imagem pequena(200x200) ex: [imgfloat=left]http_url_da_imagem_jpg[/imgfloat].
CONTEÚDO - Coloque o conteúdo da Notícia (cerca de 400 caracteres) e se quiser coloque mais algumas imagens.

ATENÇÃO:
O máximo permitido para imagens é de 400px de largura.
Responder
fap22
Capitão
Capitão
Mensagens: 526
Registado: segunda nov 19, 2007 12:00 am

Queda de avião em Angola não deixa sobreviventes

Mensagem por fap22 » segunda jan 28, 2008 8:29 am

Dois cidadãos portugueses e outros dez passageiros e tripulantes morreram este sábado na queda de um avião pertencente a uma transportadora privada perto da cidade angolana do Huambo.

tamanho da letra ajuda áudio
enviar artigo
imprimir
A aeronave, um King Air B 200, deixou o aeroporto de Luanda cerca das 7h00 (6h00 em Lisboa) com destino ao Huambo. Na aproximação àquela cidade do Planalto Central de Angola deixou de contactar a torre de controlo, acabando por se despenhar numa zona montanhosa.

Ao todo seguiam a bordo 13 pessoas, entre passageiros e tripulantes, incluindo o empresário angolano Valentim Amões, proprietário do grupo Tropicana - um dos homens que em 1996 teve um papel decisivo na aproximação dos governos de Angola e de África do Sul.

As duas vítimas de nacionalidade portuguesa são os empresários Vasco Mendes de Almeida e Nuno Marques, confirmou à RTP Círia de Castro, assessora do Instituto Nacional de Aviação Civil de Angola.

A mesma responsável revelou, ainda, os nomes dos demais passageiros do aparelho, todos de nacionalidade angolana: Isabel Cheia, António Cheia, Edson Nunda, Cláudia Lele, Dionísi e Sílvio da Costa Amões e Elinda Cacinda.

Vasco Mendes de Almeida presidia ao grupo de concessões automóveis Selfingest. Fonte da empresa, citada pela Agência Lusa, confirmou, também, a morte do empresário. Nuno Marques era sócio de Vasco Mendes de Almeida.

De acordo com a Agência Lusa, a Selfingest e Valentim Amões mantinham uma parceria com vista à comercialização de automóveis de produção chinesa em Angola.

Não se conhecem, para já, as causas do acidente. Porém, na altura em que a aeronave deixou de contactar a torre de controlo as condições atmosféricas eram adversas, segundo o Instituto Nacional de Aviação Civil de Angola.

"Ainda não tivemos acesso ao local do acidente. É uma zona montanhosa de muito difícil acesso", explicava a meio da tarde a assessora do Instituto, acrescentando que as operações de busca estavam a ser dificultadas pelo mau tempo.

Também contactado pela RTP, o embaixador de Portugal em Angola, Francisco Ribeiro Telles, confirmava que não havia sobreviventes entre os ocupantes do avião, propriedade de uma companhia aérea privada que opera voos charter em território angolano.

Dois helicópteros da Força Aérea de Angola participaram nas operações de busca.
Anexos
aviaodois.jpg
aviaodois.jpg (14.2 KiB) Visto 114 vezes
aviaodois.jpg
aviaodois.jpg (14.2 KiB) Visto 117 vezes


Responder